Category

Universo Infantil

A hora do recreio é essencial para o aprendizado escolar

By | Merenda saudável, Universo Infantil | No Comments

Estudos científicos apontam que o recreio melhora o desempenho dos alunos na escola. Esta pausa associada a boa alimentação contribuem em muito para o aprendizado e a saúde das crianças.

Diversas pesquisas mostram que o tempo livre ajuda a solucionar problemas comportamentais de dentro da sala de aula e que as crianças que participam regularmente dos horários livres tem melhores notas do que as outras que não têm tempo.

Já pensou em quanto tempo uma criança tem para ser livre, se movimentar, liberar a energia, se divertir e fazer o lanche durante o recreio da escola? Em média, apenas 20 minutos!!

Como uma criança pode oxigenar o cérebro, se movimentar, ir ao banheiro e se alimentar em apenas vinte minutos? Se essa criança não tiver levado nenhum alimento de casa, provavelmente irá perder os míseros minutos do recreio na fila da cantina para comprar um salgado e um refrigerante.

Lembre-se do ditado: “você é o que você come”. Então, se sua(seu) filha(o) se alimenta de junk food, ou seja, produtos alimentícios que vêm em embalagens e facilmente disponíveis e não tem tempo para se movimentar durante o tempo que deveria ser livre, como o seu cérebro irá funcionar? As chances de que essa criança venha a ter um desempenho ruim são enormes!

Para que a criança possa se concentrar, prestar atenção e assimilar o que é ensinado, precisa ingerir alimentos que vão servir de combustível para o cérebro e o corpo. Como fazer isso?

Sua(seu) filha(o) deve iniciar o dia ingerindo um café da manhã rico em nutrientes. Evidências sugerem que o café da manhã realmente ajuda no aprendizado. Inclua frutas, aveia, sementes, castanhas, ovo e até alguns vegetais como pepino, tomate, batata doce, inhame. Não deixe o seu julgamento interferir na alimentação da sua(seu) filha(o).

E para o lanche? Melhor evitar alimentos ricos em gordura trans e açúcar, pois opções ricas nesses dois ingredientes são considerados calorias vazias, ou seja, não contêm os nutrientes necessários para a criança.

Sugestões: frutas, cenoura, tomate e pepino cortadinhos e acompanhados de patês caseiros, como os de folha de cenoura, húmus ou beterraba. Os patês caseiros são boas alternativas para evitar a manteiga, o requeijão ou os frios. Se fizer um sanduíche, olhe os ingredientes do pão que irá usar e inclua algumas folhas verdes no recheio. Faça bolinhos em casa com ingredientes como farinha de coco, de aveia, de grão de bico; com linhaça, chia; use nibs de cacau se preferir o muffin doce ou temperos verdes se quiser um bolinho mais salgado. Existem barrinhas de cereal super práticas, saborosas e fáceis de fazer, do tipo coloca os ingredientes no liquidificador e pronto.

Se você realmente não tem tempo ou se quiser variar, procure opções de alimentos saudáveis e gostosos como os da Merendeira. O pão de queijo feito de batata doce orgânica, queijo e chia é de comer rezando. Tem o muffin integral de aveia, queijo, ovo caipira e ervas frescas e recheios de palmito ou legumes orgânicos.

E para beber? A melhor opção é a água! Quer dar algum suco? As melhores opções são o suco de limão e de maracujá. Suco de caixinha não é saudável. Eventualmente não tem problema, mas todos os dias, não.

A autora deste texto é Camila Lobato, nutricionista holística, certificada pela Canadian School of Natural Nutrition – Canadá. Brasileira, atualmente mora na Alemanha. Atende clientes de diversos lugares do mundo, realizando consultas em português e inglês; pessoalmente ou via Skype/Whatsapp, além de continuar escrevendo para o blog www.sersimples.org. Instagram: @camilanutricao e website: www.camilalobato.com

Vários papéis, uma mulher

By | Universo Infantil | No Comments

Você já pensou quantas papéis você assume diariamente? Do momento que desperta (ou é acordada! 😊) até a hora de se deitar, quantos planos fez e ações executou?

Ao acordar, logo se iniciam as tarefas domésticas, sejam feitas por você mesma, ou por uma ajudante…que, na maior parte das vezes, precisa de orientações e definições quanto a organização do dia. Simultaneamente, o lado mãe já está em ação.  

É uma sequência de trocar a roupa das crianças, organizar mochila da escola (e se preocupar com o lanche – ou não, se optar pela ajuda dos produtos do Merendeira!), dar café da manhã, levar para o colégio ou providenciar para que tudo esteja pronto quando esse momento chegar. Isso sem falar das atividades extracurriculares e do papel de “mãetorista”.

Vem o planejamento do dia com o esposo e em conjunto as divisões de atividades de supermercado, padaria, açougue, etc.. O café da manhã termina rapidinho, para conseguir se arrumar e ir para o trabalho.

Os intervalos no trabalho são logo aproveitados para olhar a viagem de férias, um eletrodoméstico que queimou e precisa ser comprado, um presente para a festa do final de semana, ou pagar uma conta.

A jornada na empresa acaba (considerando que não haverá trabalho para levar para casa) e começa o movimento de buscar criança na escola, aproveitando o caminho para uma pausa na padaria. Chegando em casa, o lado mãe – dona de casa volta à cena. Crianças na cama, vem o lado mulher e esposa.

Se identificou com essa rotina?

Os dias vão passando e passando e mal percebemos como eles são tomados por responsabilidades como mãe, mulher, esposa, empresária ou funcionária, dona de casa e por aí vai.

Fazemos com amor mesmo… alguns dias, mais cansada que outros. Mas o quanto estamos felizes com essa entrega: a dedicação é voluntária ou você sente a necessidade de dividi-la com alguém? E se sente, manifesta essa vontade ou deixa a rotina se sobrepor e o “já estou acostumada” e “sempre foi assim” vence?

A questão maior é: o quanto consigo me colocar como um dos “papéis” que tenho? Reservo um tempo para me cuidar, para ser EU? Coloco na agenda das responsabilidades a de estar comigo mesmo, da forma que me agradar… fazendo as unhas, conversando com as amigas, batendo perna por aí, em oração, fazendo um curso, deitada sem fazer nada, da forma que for… o importante é estar feliz com as multifunções que tenho e ver se uma delas é eu mesma, na minha individualidade.

Piores alimentos para as crianças

By | Merenda saudável, Universo Infantil | No Comments

Piores alimentos para as crianças

 

Se você não consegue entender o comportamento da(o) sua(seu) filha(o) e acha que é mera coincidência que ela(e) não consegue parar quieta(o) após comer um inocente chocolate e/ou biscoito, não deixe de ler esse texto até o final.

Sensibilidades alimentares são bastante comuns em crianças com hiperatividade e/ou dificuldades de aprendizagem. Adaptar às necessidades das crianças sensíveis a alimentos pode ser um desafio, já que a maioria das pessoas conectam alegria e prazer a guloseimas tradicionais que pioram os comportamentos dessas crianças.

Aqui estão os cinco ingredientes que estão mais conectados aos problemas de nutrição e aprendizado.

Cores artificiais

A maioria dos corantes artificiais são produzidos a partir de derivados do petróleo.

Os corantes artificiais são frequentemente usados ​​em chocolates, balas, biscoitos e bolos, bem como a maioria dos alimentos processados.

Estudos ligam a ingestão desses produtos ao aumento do comportamento hiperativo em crianças. Na Austrália, uma pesquisa feita com 200 crianças mostrou que 75% delas tiveram melhora no comportamento depois que retiraram os corantes da alimentação.

Além disso os corantes estão ligados ao câncer, obesidade, asma e diabetes.

Você realmente acha que aquela balinha ou chocolate de cor vermelha, amarela, verde é inofensivo?

Sabores Artificiais

A maioria dos sabores dos produtos alimentícios que compramos são criadas em laboratório por químicos especializados.

O biscoito de morango, não é feito com o morango natural. O sabor foi criado para imitar o verdadeiro.

Estes são normalmente encontrados em produtos que também contêm corantes artificiais, conservantes e açúcar. Praticamente todos os produtos que vêm em embalagem e têm sabor usam produtos artificiais. Misturas de bolo, doces e produtos assados ​​pré-embalados são os culpados mais prováveis.

Uma dica para evitar o abuso dessas substâncias: leia os rótulos! Não se deixe enganar pelos termos “aroma idêntico ao natural” e o “corante natural caramelo”. De natural não tem nada.

Muitos estudos estão associado estes aditivos artificiais a diversos malefícios a saúde, como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, câncer, hipersensibilidades alimentares/intolerância alimentar, retardo mental, e autismo.

Conservantes

Benzoato de sódio é o conservante mais comum acrescentado aos produtos alimentícios hoje em dia. Muito utilizado pela indústria alimentícia, especialmente em molho de soja, ketchup, molhos para saladas, geleias, a maioria dos condimentos, vinagre, sucos de frutas, queijo ralado e refrigerantes.

Muitos estudos vêm comprovando que o consumo de conservantes pode exercer impacto negativo na microbiota intestinal, levando a um desequilíbrio de absorção de nutrientes, comprometendo a imunidade e aumentando as alergias.

Alguns estudos têm mostrado que o benzoato de sódio, assim com corantes e sabores artificiais, pode aumentar o comportamento hiperativo em algumas crianças e deixá-las mais susceptível a determinadas doenças.

Açúcar

Todos os açúcares e carboidratos processados ​​causam um rápido aumento na quantidade de glicose disponível no sangue e podem fazer com que a criança se torne mais ativa e menos focada. Mesmo que o açúcar tecnicamente não “cause” a hiperatividade e/ou dificuldades de aprendizado, ele demonstrou piorar os sintomas.

O açúcar vicia o cérebro, porque ativa a liberação de substâncias químicas naturais que são responsáveis pela sensação de prazer, fazendo com que o organismo fique viciado nesse tipo de alimento.

Cafeína

As crianças geralmente não bebem café ou chá preto, por isso é fácil ignorar o efeito da cafeína em seus corpos. Porém, não devemos esquecer que muitos refrigerantes contêm cafeína e quando os efeitos da cafeína são adicionados aos do xarope de milho e açúcar que também são adicionados aos refrigerantes, muitas consequências podem ocorrer principalmente para as crianças sensíveis a esses produtos.

Um estudo descobriu que quando crianças de cinco anos de idade sem sensibilidade alimentar identificada consumiam refrigerante, seu comportamento se tornava mais agressivo e mais retraído. Para crianças sensíveis, os efeitos das bebidas com cafeína são ainda mais profundos.

Muitos deleites podem ser feitos usando receitas alternativas que lhe permitem evitar ingredientes problemáticos e incluir ingredientes saudáveis. Busque alternativas saudáveis para apresentar a sua(seu) filha(o). Se informe mais, se cuide mais!

A autora deste texto é Camila Lobato, nutricionista holística, certificada pela Canadian School of Natural Nutrition – Canadá. Brasileira, atualmente mora na Alemanha. Atende clientes de diversos lugares do mundo, realizando consultas em português e inglês; pessoalmente ou via Skype/Whatsapp, além de continuar escrevendo para o blog www.sersimples.org. Instagram: @camilanutricao e website: www.camilalobato.com