Vários papéis, uma mulher

By 29 de agosto de 2018Universo Infantil

Você já pensou quantas papéis você assume diariamente? Do momento que desperta (ou é acordada! 😊) até a hora de se deitar, quantos planos fez e ações executou?

Ao acordar, logo se iniciam as tarefas domésticas, sejam feitas por você mesma, ou por uma ajudante…que, na maior parte das vezes, precisa de orientações e definições quanto a organização do dia. Simultaneamente, o lado mãe já está em ação.  

É uma sequência de trocar a roupa das crianças, organizar mochila da escola (e se preocupar com o lanche – ou não, se optar pela ajuda dos produtos do Merendeira!), dar café da manhã, levar para o colégio ou providenciar para que tudo esteja pronto quando esse momento chegar. Isso sem falar das atividades extracurriculares e do papel de “mãetorista”.

Vem o planejamento do dia com o esposo e em conjunto as divisões de atividades de supermercado, padaria, açougue, etc.. O café da manhã termina rapidinho, para conseguir se arrumar e ir para o trabalho.

Os intervalos no trabalho são logo aproveitados para olhar a viagem de férias, um eletrodoméstico que queimou e precisa ser comprado, um presente para a festa do final de semana, ou pagar uma conta.

A jornada na empresa acaba (considerando que não haverá trabalho para levar para casa) e começa o movimento de buscar criança na escola, aproveitando o caminho para uma pausa na padaria. Chegando em casa, o lado mãe – dona de casa volta à cena. Crianças na cama, vem o lado mulher e esposa.

Se identificou com essa rotina?

Os dias vão passando e passando e mal percebemos como eles são tomados por responsabilidades como mãe, mulher, esposa, empresária ou funcionária, dona de casa e por aí vai.

Fazemos com amor mesmo… alguns dias, mais cansada que outros. Mas o quanto estamos felizes com essa entrega: a dedicação é voluntária ou você sente a necessidade de dividi-la com alguém? E se sente, manifesta essa vontade ou deixa a rotina se sobrepor e o “já estou acostumada” e “sempre foi assim” vence?

A questão maior é: o quanto consigo me colocar como um dos “papéis” que tenho? Reservo um tempo para me cuidar, para ser EU? Coloco na agenda das responsabilidades a de estar comigo mesmo, da forma que me agradar… fazendo as unhas, conversando com as amigas, batendo perna por aí, em oração, fazendo um curso, deitada sem fazer nada, da forma que for… o importante é estar feliz com as multifunções que tenho e ver se uma delas é eu mesma, na minha individualidade.

Izabel

Author Izabel

Mãe, Advogada e Consultora de Sustentabilidade Criativa em empresas.

More posts by Izabel

Leave a Reply